Fazendo arte...

...em todos os contextos...

Tunica

Tunica, por Aline Meyer
supertunica
Super Tunica – por Laerte

Tunica Teixeira. Santista, porém Corinthiana. Das roxas, de verde e amarelo. Das que dizem assim: nós marcamos, nós ganhamos, nós não estamos bem, nós precisamos do empate… Esse “nós” apaixonado não é só para o Corinthians, graças a Deus: Tunica dá paixão a muita gente. A gregos, troianos, e são paulinos inclusive. Através da música. Para todo ouvido. Tunica tem o talento inato de traduzir musicalmente o que desejamos ou esperamos, seja qual for a circunstância. Ela é capaz de construir um cenário inteiro com seus sons e seu vasto acervo tuniquesco, no qual nos instalamos e vivemos cenas reais ou imaginárias. A Dj é uma das facetas explícitas. As festas e baladas conduzidas por ela são famosas há muito tempo. Tunica é sonoplasta, diretora musical, pesquisadora. O seu conhecimento musical é tão profundo  quanto abrangente. A perspicácia e o humor dão-lhe a desenvoltura necessária para atuar em qualquer ambiente, para qualquer público: de frequentadores de leilão de cavalos a clubbers de todas as tribos, dançarinos de salão ou de gafieira. Sem falar das pérolas que ela nos oferece de bandeja com surpreendentes versões de standards do mais puro jazz ou de clássicos da música brasileira . E claro, o público de teatro, que ela encanta há décadas. A compreensão do que é necessário para uma cena ficar mais vívida ou emocionante, isso Tunica domina como um maestro de orquestra sinfônica.

Currículo

lenise

TUNICA (Maria Antonia Ferreira Teixeira)

Iniciou sua carreira de diretora musical e sonoplasta na Escola de Arte Dramática em 1969, confeccionando trilhas sonoras para suas montagens curriculares.

Cursou a Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo entre 1968 e 1974. Em 1975, ganhou bolsa de estudos do SESC-SP para o curso “Stage Sound and Electronic Music for Beginners” na Cockpit Arts and Workshop em Londres, Inglaterra.

São estes alguns de seus principais trabalhos de direção musical, pesquisa e sonoplastia:

 

 

 

 

RÁDIO E TELEVISÃO
  • “Os imigrantes” e “Os adolescentes”, novelas da Rede Bandeirantes;
  • “Anarquistas, graças a Deus”, minissérie da Rede Globo;
  • “Rá-tim-bum”, programa infantil da TV Cultura;
  • Direção musical de diversos documentários da série Repórter Especial da TV Cultura. Pelo programa “Avenida Ipiranga”, dessa série, recebeu menção honrosa do Prêmio Vladimir Herzog;
  • Foi responsável pela direção musical e sonoplastia do programa “Marília Gabi Gabriela”,  da CNT em1995;
  • Produziu em 1996 o programa matinal “Marília Gabi Gabriela”, (Eldorado FM)
CINEMA
  • Direção musical de filmes de ficção e documentários para o SESC-SP e outras entidades tais como o Metrô de SP;
  • Com o filme  “Paulicéia”, direção de Flavio del Carlo, ganhou o prêmio de melhor curta-metragem do Festival de Gramado;
  • Outros trabalhos foram: “A causa secreta” (direção de Sergio Bianchi) e “O efeito ilha” (direção de Luis Alberto “Gal” de Almeida);
  • Realizou a pesquisa sonora, juntamente com o maestro Paulo Herculano e Aline Meyer, para o filme de Ana Carolina, “Amélia”.
  • Assina junto a diretora Ana Carolina a trilha sonora do média-metragem “Gregório de Mattos”.
TEATRO

É em teatro que conta com o maior número de trabalhos, destacando-se:

  • Peer Gynt e Corpo a Corpo
    direção: Antunes Filho;
  • Boca de ouro
    direção: Emílio de Biasi;
  • Feliz ano velho
    direção: Paulo Betti;
  • Cerimônia do adeus
    direção: Ulisses Cruz;
  • Muro de arrimo
    direção: Antonio Abujamra;
  • Concílio do amor, Mary Stuart, A Vida é Sonho e Guerra Santa
    direção: Gabriel Vilella;
  • De braços abertos
    direção: José Possi Neto;
  • Uma relação tão delicada
    direção: William Pereira;
  • Solidão, a comédia
    direção: Marcus Alvisi;
  • Shirley Valentine
    direção: Euclydes Marinho;
  • Camila Baker
    supervisão: Ulisses Cruz;
  • Palmas para o senhor diretor
    direção: Marília Pera;
  • Angels in America
    direção: Iacov Hillel;
  • Sherazade
    direção: Francisco Medeiros;
  • Cenas de um casamento
    direção: Vivien Buckup;
  • Inseparáveis
    direção: José Possi Neto;
  • Santidade
    direção: Fauzi Arap;
  • Caixa 2
    direção: Fauzi Arap;
  • S.0.S. Brasil
    direção: Marcos Caruso;
  • Visão Cega
    direção: José Renato;
  • Honra
    direção: Celso Nunes;
  • Joana Dark
    direção: José Possi Neto;
  • Histórias roubadas
    direção: Marcos Caruso;
  • Os Lusíadas
    direção: Iacov Hillel;
  • Visitando o Sr.Green
    direção: Elias Andreatto;
  • Ponto de Vista
    direção: de José Possi Neto;
  • Terra prometida
    direção: de Luiz Arthur Nunes;
  • Evangelho segundo Jesus Cristo
  • direção: de José Possi Neto;
  • 7 minutos
  • direção: de Bibi Ferreira;
  • O mundo é um moinho
  • direção: de Fauzi Arap;
  • Chega de História
    direção: de Fauzi Arap ( também, assistente de direção);
  • Coração Bazar
    direção: de José Possi Neto;
  • Nossa juventude
    direção: de  Laís Bodansky;
  • Operação Abafa
    de Jandira martini e Marcos Caruso,
    direção: de Elias Andreatto no Teatro Vivo e Renaissance;
  • ART
    de Yasmina Reza
    direção: de Alexandre Heinecke  no Teatro Procópio Ferreira;
  • O dia que raptaram o papa
    de João Bittencourt,
    direção: de Iacov Hillel no Teatro Tim (Campinas) e Teatro Folha (São Paulo);
  • A dança da morte
    Marguerite Duras
    direção: Marcia Abujamra;
  • A Pantera de Camila Appel
    direção: Maro Antonio Brás;
  • Equus
    de Peter Shaffer,
    direção: Alexandre Reinecke;
  • Pirou
    de Regiana Antonini,
    direção: de Sandra Pera;
  • Brasil S.A.
    de Antonio Ermirio de Moraes,
    direção: Marcos Caruso;
  • Salmo 92
    de Samir Yasbeck,
    direção: Gabriel Vilela;
  • Ligacões perigosas
    de Choderlso de Lacros,
    direção: do uruguaio;
  • O quarto azul
    David Hare,
    direção: José Possi Neto;
  • A vida é sonho
    de Calderon de la Barca,
    direção: Gabriel Vilela
    com Regina Duarte;
  • Uma mulher do outro mundo
    de Noel Coward,
    direção: Alexander Reinecke;
  • A flor do meu bem querer
    de Juca de Oliveira,
    direção: De Jorge Takla;
  • O capataz de Salema
    de Joaquim Cardoso,
    direção: Sergio Mamberti,
    Usufruto de Lucia Veríssimo,
    direção: de José Possi Neto;
  • Hoje eu me chamo Dinorá
    de Maeia Carmen Barbosa,
    direção: Cininha de Paula;
  • As traças da paixão
    de Alcides Nogueira,
    direção: Marco Antonio Brás;
  • Eternos vagabundos
    (Sonhei com Charlie Chaplin),
    texto e direção: Pâmela Duncan;
  • Tubinho, o homem da pistola torta
    (espetáculo circense/ambulante - interior de São Paulo),
    direção: Palhaço Tubinho;
  • A cerimônia do adeus
    de Mauro Rasi,
    direção: Ulisses Cruz;
  • Terceiras Intenções
    de Juca de Oliveira,
    direção: Bibi Ferreira;
  • À meia noite um solo de sax na minha cabeça e Fica frio
    com Raul Cortez,
    direção: Cibele Forjaz e Sergio Ferrara;
  • Andaime
    de Sergio Roveri,
    direção: Elias Andreatto;
  • La música, segunda
    de Marguerite Duras,
    direção: José Possi Neto,
    Teatro Maison de France (Rio de Janeiro);
  • Ciranda
    de Célia Forte,
    direção: José Possi Netto;
  • Drácula
    adaptação e direção: Gianni Ratto com
    Raul Cortêz;
  • Intocáveis
    de Oliver Nakache e Eric Toledano,
    direção: Iacov Hillel - Teatro Renaissance.
DIREÇÃO
  • Salve o prazer” de Zeno Wilde (musical inspirado no compositor Assis Valente) leitura dramática no Teatro Sergio Cardoso;
  • “Caso contado a sombra do mercado” cerimônia de entrega do 6o Prêmio Nestlé de Literatura Brasileira  na Hípica Paulista;
  • “Deus nasceu foi no Brasil” – show musical do cantor e compositor Inácio Zatz no Piccolo espaço cultural;
  • “O urso” de Anton Tchecov – temporada popular realizada em centros culturais da prefeitura de São Paulo.
EVENTOS
  • Exposição do Acervo do Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Álvares Penteado;
  • Exposição “Circo Nerino”para o Sesc Pompéia;
  • Exposição “Castelo Rá-Tim-Bum – o filme” para o Sesc Belenzinho.
  • Exposição permanente da maquete da cidade de São Paulo no Museu Paulista da USP (Museu do Ipiranga);
  • Realizou várias trilhas sonoras para o Banco de Eventos de Victor Oliva para clientes tais como GM, Banco Real, Bom Bril, Honda etc.
  • Em 2000 realizou a pesquisa musical e sonoplastia para o evento “Ópera dos 500 anos do Brasil” de Millôr Fernandes,  direção de Roberto Lage no Teatro Municipal de São Paulo.
DJ E LOUNGE

[caption id="attachment_25" align="alignright" width="300"] DJ Tunica[/caption]

DJ há 48 anos com um sem número de festas realizadas sobre os mais diversos temas como Festas de Aniversário: Milu Vilela, Raul Cortez, Irene Ravache, Marcos Caruso, Vera Holtz, Thiago Lacerda, Regina Duarte, Paulo Goulart e Nicete Bruno, Maria Luisa Mendonça, entre outros). Em São Paulo tocou no Spot, no UP&Down, no Medieval, no Angel´s e no Hotel Cambridge. Em 2003 tocou no Buda Bar de Lisboa e fez festas particulares como por exemplo, comemoração do início da temporada de Regina Duarte no norte de Portugal na cidade de Vila Real (Hotel “Casa da Levada” – setembro de 2004); no sul de Portugal fez festa na cidade de Faro e recebeu vários convites para tocar na região do algarve no verão português.

  • 2010
    Festa de comemoração dos 25 anos da Produtora Morente e Forte no Restaurane “Festivo”
    Festa na residência de Leilah Assumpção.
  • 2009
    Festa de comemoração de 50 anos de carreira artística de John Herbert na residência de Leilah Assumpção. Trilha para apresentação e Lounge.
  • 2008
    Tiro-Liro – música ambiente para o restaurante/bar português do evento de lançamento do novo automóvel da Renault: trilha sonora do evento, dos vídeos promocionais e DJ.
  • 2005
    Anunciação loja da R. Augusta música ambiente para Abertura.
  • 2003
    Trilha sonora do evento e dj da festa de inauguração do Club Mediterannée em Trancoso, Bahia-maio – com direção de José Possi Neto e a participação do Balé Folclórico da Bahia, Olodun e Elba Ramalho1999
    Soltando o rojão , TUSP, DJ com Miro Rizzo/ 26 de junho.
  • 1997
    Patachou desfile de moda, direção de Gabriel Villela para o Morumbi Fashion Show, Fundação Bienal, Ibirapuera trilha sonora, sonoplastia e DJ.
  • 1993
    Roupa de artista exposição e instalação; curadoria de Olney Kruse Sesc-Pompéia – pesquisa musical, trilha sonora e sonoplastia.
    Giovanna Baby desfile, Casa Moda (SESC/SENAC) – trilha sonora, sonoplastia e Dj.
  • 1990
    Desfile performático roteiro de Martha Melinger, direção de Elias Andreato, Teatro do Bixiga – trilha sonora e sonoplastia e DJ
    Giovanna Baby vídeo promocional – trilha sonora, sonoplastia
    Zoomp desfile da coleção de outono-inverno – trilha sonora e DJ
    Huis-Clos desfile de modas, direção de José Possi Neto, na “Maison Huis-Clos” trilha sonora, sonoplastia e Dj
    Festival internacional de Cabeleiros evento da Agência Promode – Pavilhão da Bienal, Ibirapuera – trilha sonora, sonoplastia e DJ (desfile).
  • 1988
    Zoomp evento de inauguração da loja da Rua Oscar Freire – trilha sonora, sonoplastia e sonotécnica, DJ.
  • 1985
    50 anos de H.Stern desfile de jóias, direção de José Possi Neto com Irene Ravache,
    Hilton Hotel – pesquisa musical e trilha sonora.
PRÊMIOS

Ao longo de 48 anos de carreira teatral, recebeu um prêmio Governador do Estado, quatro prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e onze prêmios APETESP (Associação dos Produtores de Teatro do Estado de São Paulo), entre outros prêmios.

Foi indicada em 1996, juntamente com Aline Meyer,  ao Prêmio Shell de Melhor Trilha Sonora para Teatro pelo espetáculo “Cenas de um Casamento” de Ingmar Bergman, direção  de Vivien Buckup.

Nesse mesmo ano receberam o APETESP de melhor trilha sonora para Teatro Infantil por “Sherazade”, direção de Francisco Medeiros  Em 1998 recebeu, juntamente com Aline Meyer, o Prêmio Shell de Melhor Trilha Sonora para Teatro pelos espetáculos “Santidade” e “Caixa 2”, ambos dirigidos por Fauzi Arap.